Image Image Image Image Image
Scroll to Top

Ir para cima

Breve dicionário audiovisual do Ibermedia

Tal como os outros, também no Ibermedia estamos a tentar compreender a nova terminologia usada pelos profissionais da indústria audiovisual. Onde quer que vamos, ouvimos estranhas palavras (nós chamamo-las «palavros») tais como crowdfunding, edutainment ou hackathon, cujo significado nem sequer é claro na sua língua original (pois, muitas vezes, um «palavro» vem de um jogo de palavras prévio). Este breve dicionário ou manual de novos termos nasce com o fim de reunir e compreender esse novo léxico usado desde há pouco tempo e que evolui com a mesma velocidade do que a tecnologia. As fontes não são citadas porque a maioria delas provém de materiais tão diversos quanto dispersos, como blogues, sites, portais de universidades, a Wikipédia, livros de marketing ou o mundo dos videojogos. Em cada entrega iremos acrescentar dois palavros novos; aprender vai ser divertido.

A B C E F G H M O R S T V
So St

Segundo ecrã

Entende-se como primeiro ecrã a televisão e, como segundo, outro ecrã usado em simultâneo, normalmente o do telemóvel, tablet ou portátil.

Um número crescente de espectadores é incapaz de ver TV sem recorrer constantemente a outro dispositivo para escrever comentários nas redes sociais, para ampliar informação sobre o que está a ver ou para completar o conteúdo broadcast.

Os não nativos digitais costumam achar isto distrativo e disruptivo, mas os jovens cresceram com múltiplos ecrãs. Existe uma indústria inteira a construir-se à volta do segundo ecrã (e sucessivos), tanto de conteúdos interativos como de conteúdos paralelos, promocionais ou sociais, que são partilhados na web 2.0.

Um exemplo nos filmes de ficção é o da Disney com Os piratas das Caraíbas, com uma edição em BluRay sincronizável com o iPad para aceder em simultâneo a conteúdos extra.

Social Media

Redes sociais.

A partir de 2003, com o MySpace, e de 2007, com a chegada do Facebook aos principais países europeus e América Latina, dá-se uma revolução no modo de as pessoas se comunicarem e, mais tarde, no modo de comunicar das empresas e instituições com o seu público.

Tornaram-se na principal ferramenta de comunicação de conteúdos, alteraram totalmente o panorama da informação, da publicidade e da promoção e permitiram o aparecimento de novas formas de expressão, nomeadamente online.

  • As redes sociais horizontais mais importantes são o Facebook (uma em cada seis pessoas no mundo tem um perfil), o Xing (China) e o Orkut (Brasil), seguido pelo Tuenti em Espanha e na América Latina. O Google+ tem muitos utilizadores, mas ainda tem pouca atividade.
  • A rede social vertical mais importante por tipo de utilizador é o LinkedIn (profissionais).

As redes sociais por tipo de atividade são o YouTube (vídeo), o Twitter (microblogging), o Vimeo (vídeo), o Pinterest (imagem) e o Instagram (fotografia).

Storytelling

Narração.
É o principal meio de aprendizagem, o veículo através do qual as culturas transmitem os seus conhecimentos. Sejam fábulas, lendas, exemplos, histórias familiares, contos com moral, estamos preparados e determinados desde a infância para compreender o mundo através da narração e da recriação. Com histórias lembramo-nos melhor do que com os dados, e somos mais capazes de aplicar a sua aprendizagem de modo mais eficiente.

A narração evoluiu ao longo dos séculos. Do teatro clássico grego e os seus três atos aos complexos enredos das séries de televisão atuais, as pessoas têm adaptado a sua necessidade de transmitir histórias às possibilidades que a técnica oferece.

A explosão de meios de expressão derivados da web 2.0 e a confluência de melhorias técnicas e aparelhos antes reservados apenas aos profissionais (câmaras de vídeo e fotografia, computadores, software avançado, etc.) estão a propiciar uma mudança de paradigma na narrativa. Os jogos e outras plataformas digitais, como as de ficção interativa ou narração interativa, podem ser usados para colocar o utilizador como uma personagem dentro de um universo de ficção. Os documentários, incluindo os docuwebs interativos, usam técnicas que ultrapassam a expressão audiovisual para transmitir informação adicional.

No âmbito audiovisual, a nova narrativa pretende sistematizar essas técnicas e ver a sua aplicação nos novos formatos, suportes e plataformas através dos quais se podem contar histórias. Em inglês, estas técnicas chamam-se digital storytelling, online storytelling ou new media storytelling.

CAACI

Blogroll

    ICAU AECID ANCINE Centro Costarricense de Producción Cinematográfica CNCINE CNAC CONACINE Bolivia Consejo Nacional para la Cultura y las Artes ICAIC Consejo Nacional de la Cultura y las Artes Perú – Ministerio de Cultura Secretaria Ministério do Audiovisual da Cultura Secretaría Nacional de Cultura de Paraguay Dirección General de Cine (DGCINE) – República Dominicana ICA Instituto Mexicano de Cinematografía INCAA Ministerio de Cultura República de Colombia Corporación CINE Puerto Rico Sistema Estatal de Radio y Televisión

Unidad Técnica Programa Ibermedia, 2013 - Desarrollado por CódigoMedia