CFAH
Image default

‘Las herederas’, de Marcelo Martinessi, ganha dois Ursos de Prata na Berlinale 2018; ‘Museo’, de Alonso Ruizpalacios, um Urso de Prata. Grande colheita do cinema ibero-americano em Berlim!

Las herederas, primeira obra do paraguaio Marcelo Martinessi, foi o grande vencedor ibero-americano na 68.ª edição do Festival de Cinema de Berlim ao arrecadar dois Ursos de Prata: o Urso de Prata-Prémio Alfred Bauer para filmes que abrem novas perspectivas na cinematografia mundial, e o Urso de Prata para a Melhor Interpretação Feminina para a atriz Ana Brun, uma das protagonistas do filme. Um sucesso que celebramos de forma especial também na Ibermedia, pois o filme recebeu apoios do Programa para o Desenvolvimento na Convocatória 2014 e para a Co-produção em 2015. Já Museo, do mexicano Alonso Ruizpalacios, ganhou o Urso de Prata de Melhor Argumento para o guionista Manuel Alcalá; Ex Pajé (ex-xamã), do brasileiro Luiz Bolognesi, obteve uma Menção Honrosa na secção Panorama Documental; e Retablo, do peruano Álvaro Delgado-Aparicio, uma Menção Especial do Júri na secção Generation 14Plus.

[:]

Entre os prémios dos júris independentes da Berlinale, também foram distinguidos Tinta bruta, dos brasileiros Marcio Reolon e Filipe Matzembacher (Prémio Teddy para a melhor longa-metragem de ficção com protagonista LGBT e Prémio da Confederação Internacional de Cinema de Arte e Ensaio, CICAE); Bixa Travesty, dos também brasileiros Claudia Priscilla e Kiko Goifman (Teddy ao melhor documentário LGBT); Teatro de guerra, da argentina Lola Arias (Prémio do Júri Ecuménico que segue a Berlinale bem como o CICAE para filmes incluídos na secção Fórum de novos talentos); El silencio de los otros, da espanhola Almudena Carracedo e do estado-unidense Robert Bahar (Prémio da Paz e Prémio do Público da secção Panorama Documental); e La casa lobo, filme de animação dos chilenos Cristóbal León e Joaquín Cociña (Prémio Caligari também para filmes incluídos na secção Fórum).

Também a secção da Amnistia Internacional que tem por fim chamar a atenção do público e do mundo do cinema para questões de direitos humanos deu o prémio principal a Central Airport THF, do brasileiro Karim Aïnouz, pelo seu documentário sobre os refugiados que foram abrigados nos antigos hangares do emblemático aeroporto Tempelhof de Berlim. E Las herederas, além dos dois Ursos de Prata, obteve também o Prémio da Federação Internacional da Crítica (FIPRESCI) para os filmes da Secção Oficial e o Teddy do Público concedido pelos leitores da revista Mannschaft.

Como é notório, trata-se de um magnífico ano para o cinema ibero-americano no Festival de Berlim, presente em quase todas as secções e galardoado em várias delas.

Las herederas_Marcelo Martinessi_afiche

Numa entrevista que lhe fizemos recentemente para este site, Marcelo Martinessi descrevia assim o seu filme Las herederas: “É a história de uma mulher de boa posição social que tinha herdado dinheiro suficiente para viver confortavelmente. Mas aos 60 anos apercebe-se de que esse dinheiro já não chega. Esta nova realidade altera o equilíbrio imaginário em que vivia e impulsiona-a a transformar um mundo que até então permanecera imóvel”.

E acrescentava: “Ao longo deste relato, a herança não tem que ver apenas com o dinheiro. Tem que ver com os valores, as formas, os limites e as restrições que uma mulher sente a obrigação de transmitir de geração em geração, como para perpetuar um sistema irracional. São essas heranças abstratas e ilógicas que algumas mulheres decidem – por vezes – quebrar. E isso parece-me muito atraente”.

Las herederas é uma co-produção do Paraguai, Brasil, Alemanha, Uruguai e França, um projeto sem dúvida de grande magnitude, embora para Martinessi o desafio seja continuar a ser um filme pequeno, coerente com o seu país e com a maneira como ele entende o seu trabalho. Para a sua realização, Martinessi recebeu apoios do Ibermedia para o Desenvolvimento na Convocatória 2014 e para a Co-produção em 2015.

Este sitio web utiliza cookies para mejorar su experiencia. Asumiremos que está de acuerdo con esto, pero puede optar por no participar si lo desea. Aceptar Leer más

Política de cookies y privacidad