Image default

‘Viaje a Tombuctú’ estreia no Peru

Depois de obter vários prémios e participar em vários festivais do mundo, Viaje a Tombuctú, a primeira obra da realizadora peruana Rossana Díaz Costa, estreia a 29 de maio nos cinemas do Peru. Esta co-produção peruana-argentina recebeu o apoio do Programa Ibermedia na Convocatória de 2011.

[:]

Viaje a Tombuctú conta a história de amor entre Ana (Andrea Patriau) e Lucho (Jair García) durante os convulsos anos oitenta no Peru. A sua passagem da infância à adolescência acontece em paralelo com as mudanças sofridas no seu país durante essa década de violência, pobreza extrema e falta de oportunidades. Para eles, a única maneira de sobreviver a tudo isto é através do amor, uma espécie de refúgio que tem como pátria um país imaginário chamado Tombuctú. No entanto, a realidade que os rodeia vai tentar interpor-se para desmoronar a sua utopia.

O filme é uma tentativa de “narrar o que acontecia no Peru dos anos 80: o terrorismo que se fazia sentir cada vez mais, o ambiente de uma classe média caída por tudo o que estava a acontecer; é um momento da história e deste grupo que acho que não foi retratado desta maneira anteriormente no nosso cinema”, explica a realizadora. “Toda a minha equipa de produção tem entre trinta e quarenta anos. Todos fomos adolescentes nessa época, pelo que o argumento foi um documento com que nos identificávamos. Tentei fazer um filme de que eu próprio gostasse, de certa forma, ou de que as pessoas da minha geração gostassem”.

Tombuctu é uma cidade que existe, mas muito pouco conhecida, o que a faz parecer imaginária, ou fantástica. “Ir para Tombuctu é como ir para a China. O curioso é que em Tombuctu não há nada, porque é um deserto em África. Trata-se da ideia de partir para um lugar longínquo onde se tem a ilusão de que as coisas estejam melhor do que onde estamos”, acrescenta.

Viaje a Tombuctú foi produto do esforço sustentado da cineasta e escritora Rossana Díaz Costa, que desde o ano de 2005 começou a revelar fragmentos do enredo da sua primeira obra quando publicou o livro de contos Los Olvidados (no los de Buñuel, los míos), semeando a semente deste filme. “Desse livro parte a necessidade de escrever um argumento. Foi em 2007 que escrevi a primeira versão deste e foi em 2012 que pude finalmente gravar o filme. São muitos anos de trabalho e força de vontade, são muitas as versões de argumento que foram escritos, são muitos os problemas que tive de resolver, são vários os prémios que me incentivaram a continuar e é muita a paciência que tenho tido”, esclarece a realizadora.

A primeira obra de Rossana Díaz Costa estreou no Festival Internacional de Cinema de Lima no ano passado, e percorreu outros festivais internacionais como o Festival de Cinema Latino de Chicago, de San Diego e do Uruguai. Além disso, colheu vários prémios como o Prémio do Público online do Festival de Cinema de Lima, o Prémio de Melhor Longa-metragem de Ficção no Festival de Cinema Latino em Punta del Este (Uruguai) e o Prémio de Distribuição e Exibição do Ministério da Cultura (Peru).

Trailer

GALERIA DE FOTOGRAFIAS

Viaje a TombuctúViaje a TombuctúViaje a TombuctuViaje a TombuctúViaje a TombuctuViaje a Tombuctú

Contenidos relacionados

We Are One, películas gratis durante diez días gracias a veinte de los mayores festivales del mundo

Ibermedia

Mariela Besuievsky: “¿Por qué soy productora?”

Ibermedia

IberSeries 2020: encuentro digital con plataformas y canales de televisión

Ibermedia

‘Una madre (A Mother)’, del colombiano Diógenes Cuevas, se estrena en el Festival de Miami

Ibermedia

La película ítalo-chilena ‘Vera de verdad’, seleccionada para el Frontières del Festival de Cannes

Ibermedia

Cristina Gallego sobre don Antonio Bolívar: “Gracias, Abuelo, por confiar en nosotros”

Ibermedia

286 proyectos de Iberoamérica se postulan al 8° LabGuion en Colombia

Ibermedia

Pensando el Caribe, un ciclo de cine online sobre la construcción de lo caribeño

Ibermedia

El 25 de mayo se inicia el Mes Quirino de la Animación Iberoamericana

Ibermedia

La Cineteca Nacional de Chile libera tres libros de su colección sobre cine latinoamericano

Ibermedia

Don Antonio Bolívar, visionario y sabedor tradicional, abuelo de ‘El abrazo de la serpiente’

Ibermedia

Iberoamérica y Europa seguirán impulsando sus industrias audiovisuales en tiempos del Covid-19

Ibermedia

Este sitio web utiliza cookies para mejorar su experiencia. Asumiremos que está de acuerdo con esto, pero puede optar por no participar si lo desea. Aceptar Leer más

Política de cookies y privacidad